sábado, 31 de março de 2012

Alerta: Fique de olho na BCG do seu bebê


A vacina BCG (contra as formas graves da Tuberculose) deve ser aplicada logo que a criança nasce, ainda no hospital (quanto mais cedo, maior o efeito). Seu bebê só não receberá a vacina tão cedo, caso tenha menos de 2kg.
É importante ficar de olho no local em que a vacina foi aplicada, pois o natural é que inflame e depois apareça uma cicatriz, como você mesma deve ter no seu braço direito. Não use nenhum medicamento no local (a não ser por indicação médica) e não tire a casquinha que se formar. Caso essa cicatriz não apareça até os 6 meses de idade, é necessário que a vacina seja reaplicada.
Por isso, fique de olho! Essa vacina é muito importante e, se suspeitar de algo, fale com o pediatra.

sexta-feira, 30 de março de 2012

Produto testado: Fralda Pampers Supersec (ATUALIZADO)

Ganhei um pacote dessas fraldas no meu chá de bebê e só usei agora porque eram tamanho M.
A Pampers é uma das fraldas mais caras do mercado, mas me conquistou desde o princípio por causa da Pampers RN sobre a qual falei aqui. Mas, infelizmente, não posso elogiar a Supersec da mesma forma. É uma fralda bem inferior e não absorve tão bem. Serve como fralda diurna se você trocar com bastante frequência, mas eu não compraria novamente.
UPDATE!!! Depois que o meu bebê fez uns 6 meses, a Supersec passou a não vazar mais. Hoje, uso essa fralda quando não posso comprar a Total Confort. Embora ela não tenha um absorvente tão eficaz, é boa.

Prós: Apenas o preço, mais baixo que o das outras linhas Pampers
Contras: Vazou o xixi do meu bebê várias vezes quando pequeno. Após os 6 meses, não vazou mais.
Preço*: R$19,90 com 32 fraldas M

*Preço no site do Extra em 20/03/12

quinta-feira, 29 de março de 2012

Parceria com a Casa Ronald McDonald - Divulgação


O Blog "Dicas da mamãe e do bebê" foi mencionado no site da Casa Ronald McDonald como parceiro.
Veja aqui!

Cookies decorados: gostosos e divertidos!

 Uma ótima ideia para se divertir com a criançada na cozinha!
A dica é do blog "Comer é um barato".

bolachas-decoradas.jpg
Uma receita básica de biscoitos caseiros da confeiteira Patrícia Schmidt (SP).  Para decorar, use corante em gel e glacê (que já é vendido pronto).
Ingredientes:
- 100 g de manteiga sem sal,
- ¾ xícara (chá) de açúcar,
- 1 ovo,
- ½ colher (chá) de essência de baunilha,
- 2 xícaras (chá) de farinha de trigo peneirada,
- 1 colher (chá) de fermento em pó,
- ½ colher (café) de sal.

Preparo: misture os ingredientes até obter uma massa homogênea. Se quiser fazer biscoitos de duas cores, divida a massa ao meio e acrescente uma colher (de sopa) de chocolate em pó a uma das metades. Embrulhe em filme plástico e coloque na geladeira por 40 minutos. Antes de abrir a massa com um rolo, polvilhe com farinha de trigo a superfície de trabalho. Corte os biscoitos da forma que desejar, coloque-os em uma assadeira untada e enfarinhada e asse em forno médio preaquecido por 20 minutos ou até que fiquem corados. Rende 18 porções.

quarta-feira, 28 de março de 2012

Como fazer bolinhas de sabão em casa

Ilustrações Daniel Lourenço

Parece mágica! Basta um arame em círculo, água e sabão. A brincadeira é antiga e não há quem deixe de experimentar.

Os bebês ficam encantados quando as bolinhas estouram, os maiores adoram correr atrás delas. E os adultos então... Veja como fazer o líquido para as bolinhas de sabão em casa mesmo:

Ingredientes:
* um pedaço de arame para entortar
* água
* detergente ou sabão em pó
* xarope de milho

Como fazer:
É bem simples. Misture 1/2 copo de detergente e 2 colheres de xarope de milho em 1/2 litro de água.O xarope de milho é para encorpar as bolhas e aumentar o tempo de duração delas. Depois, é o que vemos na foto: basta molhar o arame entortado em forma de aro e assoprar.


Dica: Clique aqui para ler o post sobre bolinhas de sabão coloridas!


Fonte: Revista Crescer

terça-feira, 27 de março de 2012

Tudo para a festa de aniversário de seu filho



A Revista Crescer Online disponibiliza um infográfico bem legal sobre tudo o que você precisa saber para fazer uma festa bem legal para seu filho. Confira aqui.

segunda-feira, 26 de março de 2012

Produto testado: Lenços umedecidos Baby Bath Premium


Esse foi o primeiro lenço que comprei para o meu bebê. Assim que abri o pacote já me apaixonei logo de cara!
A tampa de plástico deixa os lenços úmidos por muito mais tempo e, além dela, por dentro ainda tem aquele adesivo que vem normalmente nos outros pacotes de lenços umedecidos.
A textura dos lenços é muito boa, melhor do que a dos lenços da Johnson's. Tem realmente cara de produto importado. O perfume é bem suave e gostoso.
A embalagem vem com 64 lenços (mais do que a maioria das outras marcas).
Os lenços são umidos na medida certa. Consigo usar apenas um lenço para um nº2 não bombástico!
Embora eu use lenços apenas quando saio com meu bebê (em casa uso algodão), esse é o meu lenço preferido!

Prós: Tudo, tudo de bom mesmo!!!
Contras: UPDATE! Esse lenço possui parabenos em sua fórmula. Leia mais aqui.
Preço: R$9,90 com 64 lenços

domingo, 25 de março de 2012

Produto testado: Fraldas Pompom Noturna

Uma amiga me indicou essa fralda e eu resolvi testar.
Resultado: aprovei e estou usando toda noite no Bê. Ele fica com uma só fralda das 18h às 6h sem troca e sem vazamento, ou seja: cumpre as 12h sem troca prometidas.
O preço é um pouco mais baixo do que o da Turma da Mônica Conforto Dia e Noite que eu estava usando antes e sobre a qual falei aqui.

Prós: cintura alta - o que dificulta o vazamento pelas costas - e toque de algodão.
Contras: Um pouco volumosa
Preço: R$13,25 no pacote com 27 fraldas M

 

Atualização do post: A rotina espera meu bebê (dez.2011)


Olá, pessoal!

Conforme prometi, confira a minha opinião sobre a rotina sugerida pelo livro Nana Nenê, que postei em dezembro do ano passado, aqui.

sábado, 24 de março de 2012

Problemas com amamentação



Na maternidade, todos elogiavam o jeitinho com que o meu bebê mamava e diziam: "Nossa! Como ele pega direitinho!"
Achei que não teria nenhum problema para amamentar. Afinal, meu bico do seio era bem formado e meu bebê era um "sugador profissional"...
Mas as semanas se passaram e uma bela madrugada, após choros intensos de cólicas, meu seio direito começou a doer enquanto ele mamava. O que fazer? Retirar o seio quando ele finalmente havia ficado quietinho? Nem pensei nessa hipótese! Continuei ali, aguentando firmemente a dor...
Nas mamadas seguintes, evitei aquele oferecer aquele seio e comecei a passar um pouco do meu próprio leite na fissura. Mas. pela manhã. meu seio já estava começando a empedrar e eu não havia conseguido retirar nenhuma gota de leite dali manualmente. Como nunca gostei de extratores de leite, resolvi oferecer o peito ao meu filho, mas com uma mudança de posição: coloquei-o do meu lado direito apoiado no braço do sofá de forma que a cabecinha dele ficasse embaixo do meu braço e, assim, virado, ele mamou sem pegar na parte machucada. No fim do dia, meu seio já não doía mais.
Semanas depois, meu leite começou a ficar um pouco escasso. Talvez pelo estresse que as cólicas dele, que duraram até o terceiro mês como de praxe, me causaram... Foi aí que a pediatra, após constatar que ele, apesar de gordinho, havia tido uma queda no ganho de peso diário (de 45g/dia para 30g/dia), pediu que eu tomasse Plasil por 10 dias e desse a ele o NAN na última mamada da noite. Confesso que não tomei o Plasil - porque li a bula e vi que os efeitos colaterais não valiam a pena - e tentei dar o leite de fórmula a ele, mas ele não quis de jeito nenhum - nem na mamadeira, nem no copinho. Contudo, comecei a tomar muito mais água do que estava tomando antes. E o meu leite aumentou significativamente. Hoje, o leite está ok, ele está dormindo a noite toda e eu continuo tomando meus quatro litros de água por dia. Como consigo? Fácil. Encho algumas garrafinhas de 500ml com água filtrada e coloco na geladeira; cada vez que vou amamentar, bebo toda a água da garrafinha! Fica a dica.

sexta-feira, 23 de março de 2012

Língua presa - fique de olho na língua do seu filho!



Esse mês, meu marido e eu levamos nosso bebê para uma consulta de rotina com a pediatra.
Qual não foi a nossa surpresa quando ela percebeu que a linguinha dele estava com o freio curto!
A famosa "lingua presa" pode causar problemas como engasgos frequentes ao mamar, dificuldades na amamentação e também, mais tarde, na fala.
Ontem, fomos a um pediatra indicado pela médica dele para fazer uma avaliação do problema. Resultado: estamos somente esperando a liberação do plano de saúde para fazer um pique no freio da língua dele. Agradecemos a Deus porque a pediatra diagnosticou logo esse problema, já que, com o tempo, o freio pode engrossar e, nesse caso, é necessário que a criança fique internada para o procedimento. No caso do Bernardo, como ele está apenas com 3 meses, apenas uma anestesia local com xilocaína será suficiente. O pediatra garantiu que quando passar o efeito da anestesia ele não sentirá nenhuma dor.
Estou ansiosa, pois ele sempre engasgou muito ao mamar e somente agora entendi o porquê...
Fica então a dica: peça ao pediatra do(a) seu(ua) filho(a) para dar uma olhadinha na língua dele(a), caso ainda não o tenha feito. Quanto mais cedo o diagnóstico for feito, melhor!

quinta-feira, 22 de março de 2012

Você chegou com o seu filho em casa. E agora?

<h4>Março de 2012</h4>
Matéria de capa da revista Pais e Filhos - março de 2012


 Me desculpe pelo texto corrido, mas no momento estou amamentando e digitando no celular”, disse uma mãe ao escrever para a Pais & Filhos contando como foram os primeiros momentos com o bebê em casa. É assim mesmo, nesse período não sobra muito tempo para acessar e-mails. Marília Diniz, a mãe em questão, estava com a filha de 3 semanas em casa.

Os primeiros dias com o bebê são de muita novidade e envolvem um monte de coisas: os hormônios da mãe, o cansaço do parto, a adaptação à nova realidade, as visitas e opiniões vindas de todos os lados e, o mais óbvio, os cuidados com a criança. É uma mudança grande, mesmo.

Para a maioria das mães, as dificuldades acontecem nos primeiros 15 dias. Normal, principalmente com o primeiro filho. Dá medo de não saber fazer a coisa certa, de não saber cuidar. Nesse momento, você está conhecendo seu filho e não sabe exatamente o que ele quer. A habilidade de reconhecer os choros, entender o bebê e conseguir atender suas necessidades vem com o tempo – é como em qualquer relacionamento. E acaba sendo um pouco instintivo também. “Em questão de dois ou três dias eu já estava acostumada. Mães são espécies muito adaptáveis”, brinca a jornalista Mariana Whitehead, mãe de Ana Luísa.

Fazer cursos antes do parto ajuda bastante. Você vai "aprender" a dar banho usando uma boneca, o que é bem diferente da vida real, mas já vai saber os conceitos básicos quando chegar a hora. Grande parte das mães acaba se preocupando só com o parto, e não com o pós-parto. Estar preparada para as mudanças que vão acontecer nos primeiros dias ajuda muito na adaptação. “Depois que a criança nasce, a gente fica doida e sobram palpiteiros, e se você já não tiver uma ideia do que vai fazer, acaba ficando sem rumo. Ter algum conhecimento, ainda que meramente teórico, ajuda muito a diminuir e controlar a insegurança e o medo”, acredita a advogada Letícia Penteado, mãe de Helena.

Ajuda

Outra coisa fundamental é a ajuda, seja da avó, do pai ou de uma babá. Os mais experientes podem dar dicas práticas de cuidados com o bebê ou só dividir tarefas mesmo, para que você tenha tempo de fazer as suas coisas e não fique só em função da criança. Claro que é super importante a mãe liderar os cuidados, até para poder conhecer o próprio filho, mas uma ajuda para poder descansar, tomar um banho sossegada ou sair um pouco de casa, é muito bem-vinda. Caso você acabe ficando alguns dias sem lavar o cabelo ou algumas semanas sem fazer depilação, saiba também que fazem parte. Tudo passa.

A ajuda é boa, sem dúvida, mas muitas mães têm dificuldade em aceitá-la. “Meu pai cuidava da logística da casa e carregava a gente pra lá e pra cá (nas consultas, nas vacinas). Eu, que me orgulho da minha independência, me vi totalmente dependente deles, e isso não me fez bem”, conta Alessandra Paccini, mãe de Gabriel. Saber da importância de aceitar ajuda e se preparar para a nova “dependência” antes do parto facilita bastante. “É importante que ela saiba que essa dependência absoluta passa. É um momento, um período de vida inicial do bebê”, explica a psicóloga especialista em gestantes, mães e bebês, Cynthia Boscovich, mãe de Bruno e Giovanna. Aos poucos, a mãe se acostuma e logo a própria criança não vai mais ser tão dependente.

Alguns pais optam por tirar férias após o parto, o que é maravilhoso. “Tive auxílio do meu marido no primeiro mês e minha mãe sempre trazia comida quentinha”, conta Mariana. Ele ajudava no banho, na troca de fraldas e em todos os cuidados com a filha. As outras pessoas, menos próximas, podem acabar atrapalhando. Se a mãe está enfrentando dificuldades nos primeiros dias, o melhor é não receber visitas ou ter a liberdade de dispensá-las quando bate o cansaço. “É muito importante a mãe usar os primeiros dias para conhecer o bebê e também para que ela e o marido se encaixem no novo papel de família. Às vezes, as visitas atrapalham isso. Fazem com que os pais tenham que dar atenção a elas em vez de dar atenção ao bebê”, acredita a jornalista.

Amamentação

Outra dificuldade que costuma aparecer nesses primeiros dias é a amamentação. Algumas pessoas amam dar de mamar e conseguem de cara. Para outras, o leite não desce tão rápido ou empedra. Existem também os problemas com o mamilo, como as rachaduras. Tudo isso pode ser resolvido ou prevenido. Ter umas aulinhas com uma enfermeira, para aprender a “pega” certa, ajuda bastante. Muitas maternidades oferecem o apoio à amamentação após a alta, o que significa que a mãe pode voltar ao hospital para tirar suas dúvidas ou até receber a visita de uma enfermeira em sua casa. Antes do parto, existem algumas técnicas para preparar o seio, como tomar sol e esfregar uma bucha vegetal, tudo com orientação do obstetra. “Meus peitos nunca racharam, mas ficaram doloridos nos primeiros dias, o que é absolutamente normal. Depois, a amamentação virou um dos momentos mais prazerosos do meu dia”, conta a Arquiteta de Informação Carla Martins, mãe de Arthur.

Noite de sono

A falta de sono é um dos principais motivos de cansaço dos pais. Alguns bebês dormem a noite toda desde o começo, mas a maioria acorda de madrugada para mamar. Existem algumas dicas para fazer a criança dormir bem, e a principal delas é estabelecer uma rotina, para que ele sempre saiba o que vai acontecer. “Realizar a mesma atividade diariamente, como tomar um banho, fazer uma massagem, ouvir uma música, são sugestões mais tranquilas e relaxantes para esse ritual”, explica a psicóloga Cynthia. Na hora de colocar no berço, procure não fazer brincadeiras agitadas e se certifique de que as condições estão adequadas para o bebê dormir, como temperatura certa, fralda limpa e sem fome. A massagem induz ao sono, além de ajudar nas cólicas. “Nem sempre deixar o bebê chorando no berço pode ser uma boa saída que o ajude a dormir a noite toda. O que ele precisa nesta fase é sentir-se seguro”, completa Cynthia. Por volta dos 6 meses, o bebê já vai conseguir dormir a noite inteira.

O principal é manter a calma e passar isso para o seu filho. Se ele sentir a sua tranquilidade, também vai ficar calminho e você vai poder dormir cada vez mais e melhor.

Mãe perfeita

Um dos grandes problemas das mães é aceitar sua imperfeição. Existe uma pressão grande quando nasce um filho e a gente sente a obrigação de fazer tudo de forma impecável. Quanto mais a mãe agir com naturalidade, de acordo com o próprio instinto, e quanto mais estiver envolvida nos cuidados com o bebê, mais ele vai se sentir seguro. “As falhas também são indispensáveis ao desenvolvimento da criança, e precisam ser integradas, para que possa amadurecer de forma saudável e equilibrada”, afirma Cynthia.

Agir sem vontade ou fazer alguma coisa por obrigação, como amamentar, por exemplo, pode acabar sendo prejudicial para o bebê, pois ele sente as emoções da mãe como uma esponja. “Geralmente quando ela chorava, eu parava para pensar e o problema estava em mim. Quando eu descubro minha aflição, reflito sobre ela e o choro para quase que instantaneamente”, diz Mariana.
Para muitas mulheres, chegar em casa com o bebê é o melhor momento. “Sair com o bebê da maternidade foi o momento mais emocionante. Foi ali que eu realmente me dei conta que a Luisa era minha. Uma felicidade profunda tomou conta de mim. Levei no bom-humor as dificuldades e calma para transpor tudo isso”, conta a blogueira Roberta Lippi, mãe de Luisa e Rafaela.

Para Carla Martins, os primeiros dias foram, na verdade, os mais fáceis, porque o bebê só mamava e dormia. A comerciante Carol Mafra, mãe de Lucas, disse que se viu sozinha com o bebê pela primeira vez na maternidade, quando a mãe teve de sair e o marido ainda não tinha chegado. O que sentiu? “Eu senti e sinto uma alegria enorme, planejei muito meu filho e ele é muito mais do que poderia imaginar”.

A maternidade é isso aí. Dificuldades existem, mas isso não é sinônimo de infelicidade, pelo contrário. Você vai dar conta? Claro que vai, todo mundo dá. E quando estiver difícil, diga para si mesma: vai passar. Porque vai mesmo, mais rápido do que você imagina.

Baby Blues

Até 80% das mães sentem a “Tristeza Materna”, também chamada de Baby Blues. Os sintomas, parecidos com os da depressão, como choro fácil, irritabilidade e humor deprimido, podem aparecer alguns dias após o parto e regridem em média em 15 dias. Em geral, acontece por causa da queda drástica de hormônios na mãe depois do parto e pelas dificuldades em lidar com o recém-nascido e a nova realidade.

Amamentar
1. Procure descobrir qual a melhor posição para amamentar. É importante a mãe estar tranquila e segurar o bebê com firmeza, isso proporciona segurança à criança e facilita a "pega" nas mamadas. Segure o seio posicionando a mão em forma de “C”. Após o bebê começar a mamar deixe o seio livre. O corpo do bebê deve ficar de frente para o corpo da mãe, que deve aguardá-lo buscar o seio espontaneamente. O envolvimento da mãe com o bebê é fundamental. A criança deve colocar na boca o máximo de aréola possível.
2. O uso da bomba para retirar o leite materno pode ajudar na amamentação.
3. Tome banho quente. Ajuda a aumentar o fluxo de leite e a ordenha manual melhora.
4. Deixe os seios livres ou use a concha de silicone. Ela forma o bico e impede as feridas.
5. Passe o próprio leite materno antes e depois de amamentar ao redor dos mamilos, isso ajuda nas rachaduras e a prevenir infecções.
6. Use pomadas cicatrizantes à base de lanolina, em pequena quantidade.

Dar banho
Antes de começar, é preciso ter ao alcance uma bacia com água em temperatura adequada, uma fralda úmida
e sabonete suave/neutro. Apoie o bebê em uma das mãos segurando sua coluna e nuca. Use a outra mão para lavar.

Limpar o umbigo
O curativo do umbigo deve ser feito todos os dias após o banho, até que o cordão umbilical seque e caia – geralmente por volta de 12 dias. Aplique álcool a 70% e espere secar. Não se precisa faixa, umbigueira, moeda, ou qualquer objeto sobre o umbigo.

Trocar a fralda
1. Levante as pernas do bebê e dobre a fralda suja debaixo dele.
2. Limpe a parte da frente do bebê com um lenço umedecido. Nas meninas, limpe sempre da frente para trás.
3. Levante novamente as pernas do bebê e limpe bem o seu bumbum.
4. Tire a fralda suja debaixo e coloque a limpa. 5. Passe um creme antiassaduras.
6. Feche a fralda com as fitas adesivas, deixando-a justa, mas não apertada.

Lidar com cólicas
A chamada cólica infantil acontece, geralmente, após a segunda semana. As massagens devem ser feitas no sentido horário, da direita para a esquerda,acompanhando o intestino grosso. Outra dica: dobre as pernas do bebê sobre o abdome, e faça movimentos como se ele estivesse pedalando.

Fonte: Revista Pais e Filhos

quarta-feira, 21 de março de 2012

Quantidade de comes e bebes por pessoa na festinha de seu filho

 Fernando Martinho
Confira o consumo médio por pessoa:

Bolo: 70g
Doces: 6 unidades
Salgadinhos: 10 unidades
Refrigerante: 500ml

DICA!
Que tal incluir uma sopinha no cardápio na festa para as crianças menores? As mães vão agradecer.
 

terça-feira, 20 de março de 2012

Receita de massinha caseira




Essa receita é muito legal porque se a criança colocar a massinha na boca e até engoli-la não tem nenhum problema por ser feita com ingredientes comestíveis. A dica é do site  http://www.eliana.com.br/programaeliana/categoria/receitas-da-sueli/> . Eu fiz pra minha sobrinha e deu certo!

Material
  • 2 xícaras de farinha de trigo (ou mais, até chegar à consistência de massinha)
  • 1/2 xícara de sal,
  • 1 xícara de água,
  • 1colher (chá) de óleo
  • Corantes para alimentos em cores vibrantes
Modo de fazer

Em uma tigela, misture todos os ingredientes e amasse bem até ficar em uma consistência boa para modelar. A consistência deve ser de uma massa para pão. Quanto mais corante, mais escura fica a massinha.
Depois de pronta, guarde em saco plástico ou vidro bem tampado. Na geladeira, a receita dura mais tempo.

DICA:

Esta receita não precisa ir ao fogo e não seca ao sol, mas você pode colocar as peças modeladas numa forma, em forno brando para assar. Utilize potes, cortadores e outros acessórios, para amassar, espichar, cortar e fazer modelagens.

Produto testado: Fraldas Turma da Mônica Conforto Dia e Noite


O elástico nas costas dessa fralda me chamou muito a atenção num momento em que o meu bebê sempre sujava os bodies nesse local. Era muito chato ter que ficar trocando roupa em toda troca (eu estava usando a Pica Pau Baby que era muito boa no princípio - veja o post aqui) e eu imaginei que seria a solução.
A fralda é boa. Tem toque de algodão e nunca vazou xixi nem vazava o nº2 também, mas ultimamente eu acho que meu filho tem tido muitos gazes e, por isso, a fralda não está segurando muito bem.
Vale a pena comprar se seu filho não fa nº2 bombásticos como o meu... ;)

Prós: Cintura elástica e toque de algodão.
Contras: Vaza se o nº2 de seu filho for bombástico
Preço*: R$25,00 com 46 fraldas M

*Preço praticado em janeiro de 2012

Depois da tempestade...


Depois de uma baita tempestade aqui na minha cidade, meu wireless queimou e o modem também.
Por isso fiquei tanto tempo fora da Web. Foi uma novela conseguir que a net voltasse aqui em casa!
Mas agora estou de volta e espero que meu modem continue funcionando bem.
Meu bebezinho já completou 3 meses e a fase terrível das cólicas já passou, graças a Deus!
Agora, estou curtindo muitos sorrisinhos e conversas balbuciadas num tom alegre e festivo! É realmente maravilhoso!
Tá certo que ele tem uma certa propensão ao choro. Não vou negar... É meu dengosinho! ;)
Agora, ele já dorme a noite toda. Durante o dia, ainda é uma dificuldade fazê-lo pegar no soninho e ele acorda com muita facilidade. Fico me controlando pra não deixar cair nem uma agulha no chão... Pode? Logo eu, que achava isso uma frescura... mas é que ele chora tanto pra dormir que quando ele pega no sono eu quero que ele durma pelo menos por uma horinha!
A rotina que eu havia planejado com tanto carinho e acreditei que iria funcionar, não pegou com a gente. Tento dar o mamá com intervalo mínimo de duas horas, mas nem sempre funciona.Ainda assim, está sendo tranquilo.
Então, espero que curtam as próximas postagens. Até mais!